Associação Médica BrasileiraWorld Federation of Associations of Pediatric SurgeonsAsociación Iberoamericana de Cirugía Pediátrica

ELEIÇÕES CIPE 2018 – CHAPA 2 – UNIÃO E RENOVAÇÃO

Caros (as) colegas,

Acreditamos que a CIPE precise ser modernizada, oferecer conteúdo científico a todos, facilitar a inclusão de todos nos eventos científicos, como colaboradores, participantes e como palestrantes, oferecer cursos da capacitação e atualização, assumir a luta pela defesa dos cirurgiões pediátricos por melhor remuneração e condições de trabalho, desde uma tabela própria de procedimentos, remuneração de todos os plantões, inclusive de sobreaviso, até a formação de cooperativas. Precisa se tornar conhecida como uma área importante da medicina, desde a graduação, por meio do ensino de Cirurgia Pediátrica na grade curricular, do incentivo e multiplicação das ligas acadêmicas e da valorização do residente de cirurgia pediátrica, até a aproximação com a pediatria e outras especialidades afins, retomando espaços que gradativamente perdemos para outras especialidades cirúrgicas.

Para isso precisamos informatizar a nossa associação, construir um site dinâmico que permita a todos nós nos conhecermos, sabemos o que se pratica pelo Brasil afora e o que cada um tem de bom para apresentar, além de expor as dificuldades regionais para que juntos possamos melhorar a nossa atividade profissional. Precisamos trazer a CIPE para o século XXI, resgatar o gosto e o prazer em dela participar, tornando-a atrativa, a casa de todas as gerações de cirurgiões pediátricos brasileiros, dos fundadores até os recém-formados e os residentes, futuros colegas. Precisamos adequar a nossa associação à legislação vigente, do seu estatuto ao seu processo eleitoral, permitindo uma maior transparência. Precisamos acolher centenas de colegas que se afastaram da nossa associação, ou nem chegaram a participar dela, para, unidos, tornarmos a nossa especialidade naquilo que todos nós sabemos que ela é: a “joia da coroa” das especialidades médicas, com o seu devido valor e reconhecimento.

Isso só será possível com modernidade, informatização, transparência, eficiência e legalidade.

Com esse pensamento, um grupo de cirurgiões pediátricos, de todas as gerações, desde fundadores até colegas recém-formados, colocaram à disposição uma chapa de oposição para resgatar a grandeza da nossa especialidade e trazê-la de volta para o lugar onde os nossos pioneiros a colocaram e desejam que ela sempre esteja!

Gostaríamos de ter colegas de todas as regiões participando da chapa, mas infelizmente as normas são excludentes e, além de poucos cargos, somente sócios titulares podem compor a diretoria. Para alguns destes cargos somente colegas de São Paulo podem concorrer.

Portanto, para promover essas mudanças, defendemos a descentralização, participação e inclusão e contamos com a confiança e o apoio de todos. Sabemos que o processo eleitoral não ocorreu obedecendo aos prazos estatutários, mas estamos confiantes que receberão as cédulas eleitorais e conseguirão emiti-las de volta a tempo de juntos construirmos a especialidade que desejamos.

Vejam, a seguir, as nossas propostas, façam sugestões e acrescentem pontos que não tenham sidos contemplados. Todos serão ouvidos e valorizados, para juntos construirmos uma CIPE verdadeiramente nossa.

Abraços fraternos e obrigado pela confiança, não os decepcionaremos.

 

Eleições CIPE 2018 – 2020

 

CHAPA 2: UNIÃO E RENOVAÇÃO

 

Diretoria

PresidenteEdinaldo Gonçalves de Miranda (PI)
1º Vice-presidenteJovelino Quintino de Souza Leão (SP)
2º Vice-presidenteBráulio Xavier da Silva Pereira (BA)
Secretário-geralPriscila Cardoso Braz (SP)
1º SecretárioPedro Luiz Brito (SP)
2º SecretárioMarcelo Calcagno da Silva (MG)
1º TesoureiroJosé Carnevale (SP)
2º TesoureiroIsabela Passos Pereira Quintaes (ES)
Diretor de PatrimônioAntônio Carlos Heinisch (SP)
Diretor de PublicaçõesAdriano Luís Gomes (SP)
Diretor de Relações InternacionaisJosé de Freitas Guimarães Neto (SP)

 

Conselho Fiscal

TITULARESMoacir Astolfo Tibúrcio (MG)
Edevard José de Araújo (SC)
Regina Maria Araújo Ajalla (MS)
SUPLENTESNicolino César Rosito (RS)
Nilton Crepaldi Vicente (SP)
Francisco Nicanor Araruna Macedo (RJ)

 

PROPOSTAS

  1. Constituir comissão para negociar e trazer de volta parcerias com patrocinadores dos eventos da CIPE;
  2. Financiamento de 2 (dois) cursos/ano, no Ircad, ou similares, que serão sorteados entre os sócios;
  3. Desburocratizar e informatizar a realização dos nossos congressos e jornadas, desde a organização e inscrição até sua realização, dando plena autonomia aos responsáveis pelo evento;
  4. Promover e facilitar o acesso de todos a entidades internacionais, universidades e hospitais de outros países, permitindo trocas de experiências, intercâmbios acessíveis a todos os sócios;
  5. Redução do investimento com a anuidade da CIPE (reduzir o valor da anuidade);
  6. Isenção da taxa de inscrição nos congressos para os palestrantes;
  7. Reduzir os custos das inscrições nos cursos pré-congressos, congressos e prova de título de especialista;
  8. Estimular a criação de serviços e centros especializados em urologia pediátrica, cirurgia oncológica pediátrica, cirurgia fetal e neonatal, cirurgia laparoscópica e cirurgia do trauma, cirurgia do tórax, transplante de órgãos , bem como centros de referência para doenças complexas;
  9. Disponibilizar o conteúdo de todas as aulas do congresso para o participante do evento que pagou a inscrição e não pode assistir a todas as aulas;
  10. Abertura de inscrições nos congressos para profissionais de áreas afins;
  11. Transmissão on-line dos congressos, com inscrição mais acessível, para os colegas que não puderem ir ao evento;
  12. Isenção das anuidades atrasadas dos colegas que quiserem retornar à CIPE;
  13. Lançar um livro de cirurgia pediátrica, com a realidade e experiência brasileira, escrito por colegas de todas as estaduais da CIPE;
  14. Prestação mensal de contas, acessível a todos os sócios quites;
  15. Descentralizar a realização da prova de título de especialista, realizar provas específicas para colegas com mais de 10 (dez) anos de formado e realizar a prova em etapas para os residentes (três etapas – uma em cada ano de residência);
  16. Informatizar e modernizar a estrutura funcional da CIPE, permitindo acesso mais ágil e eficaz a todos, cadastro elaborado e acessível de todos os cirurgiões pediátricos do Brasil, cadastro completo de todas as residências médicas em CIPE, criação de um acervo de livros atualizados, uma base de dados com protocolos brasileiros elaborados por colegas de todas as regionais, relatos de casos clínicos e de filmes com procedimentos cirúrgicos ;
  17. Aproximar a CIPE das demais especialidades, sociedades médicas e das entidades de classe, principalmente na luta pela defesa profissional;
  18. Participar dos congressos de outras especialidades, aproximando a CIPE das outras áreas afins;
  19. Assinatura de 3 (três) periódicos com acesso livre a todos os associados quites;
  20. Ter como meta dobrar o número de sócios em 2 (dois) anos e reduzir a inadimplência;
  21. Lutar junto à CNRM para que a CIPE possa fiscalizar a qualidade das residências médicas em cirurgia pediátrica bem como a abertura de novas residências;
  22. Atuar junto às universidades para mostrar a importância da especialidade e estimular a implantação de disciplinas de cirurgia pediátrica e a participação dos alunos no serviço de cirurgia pediátrica durante o internato médico;
  23. Transmissão on-line das reuniões da diretoria da CIPE para todas as diretorias estaduais;
  24. Trazer, de fato, para a CIPE a responsabilidade de lutar por melhores condições de trabalho e melhoria salarial, inclusive uma tabela de honorários mínimos para procedimentos clínicos e cirúrgicos, remuneração de todos os plantões de sobreaviso, remuneração de um auxiliar em todos os plantões, remuneração na forma de preceptor a todos aqueles que exercem atividades docentes sem serem professores efetivos, escala de plantonistas em todos os locais exigidos por leis e/ou portarias;
  25. Lutar junto aos órgãos competentes pelo reconhecimento legítimo de trabalharmos em cooperativas, como ocorre com outras especialidades;
  26. Lutar junto aos governos municipal, estadual e federal pela emissão de portarias, aprovações de leis que garantam esses direitos profissionais;
  27. Ampliar o mutirão anual de CIPE e a participação em campanhas como Novembrinho Azul, Alerta Amarelo, Outubro Rosa etc. e outras campanhas nacionais e internacionais que possam divulgar a importância da nossa especialidade, a cirurgia pediátrica brasileira, inclusive em missões humanitárias;
  28. Reativar a revista e o jornal da CIPE, que poderão ser eletrônicos, facilitando o acesso a todos os cirurgiões pediátricos sócios da CIPE, com apoio para a elaboração e tradução do seu artigo para inglês e/ou espanhol;
  29. Agregar a jornada dos residentes aos congressos da CIPE, valorizando-os e integrando à CIPE;
  30. Apoio pleno às ligas de Cirurgia Pediátrica, inclusive estimulando a participação dos membros em intercâmbios para centros de cirurgia pediátrica no Brasil e no exterior.