Associação Médica Brasileira World Federation of Associations of Pediatric Surgeons Asociación Iberoamericana de Cirugía Pediátrica

Mutirão Nacional de Cirurgia da Criança será realizado em 21 serviços, de 10 estados e do Distrito Federal

Com a iniciativa, a entidade procura contribuir para a redução, ainda que momentânea, das longas filas de espera por esse tipo de atendimento em hospitais públicos do país.

No dia 5 de maio, com o intuito de reduzir as filas de espera por cirurgias pediátricas na rede pública de Saúde do país, a CIPE irá realizar o XII Mutirão Nacional de Cirurgia da Criança. Até o momento, a iniciativa – que se repete anualmente desde 2006, beneficiando milhares de crianças e adolescentes – conta com a adesão de 21 serviços, de dez estados e do Distrito Federal.

“Sabemos que os mutirões da CIPE, por maiores que sejam, não resolvem o problema da saúde pública brasileira, mas, ao menos, restabelecem, em menor tempo, a qualidade de vida dos pacientes infanto-juvenis operados e reduzem, ainda que momentaneamente, a espera por cirurgias pediátricas no SUS”, constata o presidente da associação, Dr. João Vicente Bassols.

Ele explica que o mutirão se concentra na realização de cirurgias ambulatoriais, eletivas, que, na maior parte das vezes, não necessitam que o paciente seja internado; “após ser operado, ele permanece no hospital por poucas horas, em recuperação e observação, podendo retornar a sua casa no mesmo dia”. Tratam-se, geralmente, de cirurgias mais simples, de baixa complexidade. Na ocasião, a maior parte dos procedimentos consiste em operações de fimose (também chamada de postectomia ou circuncisão), orquidopexia (para fazer descer o testículo, retido na região inguinal, para que possa se desenvolver naturalmente) e hipospadia (que corrige a posição anormal da abertura uretral masculina) e para a eliminação de cistos e hérnias (umbilicais e inguinais).

O presidente da CIPE ressalta que “além de beneficiar diretamente esse grupo de pacientes, ao reduzir as filas de espera nos hospitais do país, especialmente os públicos, os mutirões também favorecem crianças e adolescentes que aguardam pela realização de cirurgias mais complexas, que exigem internação”.

E hoje, talvez mais do que em passado recente, os mutirões voluntários passam a ter um papel de grande importância para o paciente cirúrgico pediátrico. Com as restrições orçamentárias a que também a saúde pública do país vem sendo submetida nos últimos anos, a situação que estava longe de ser a ideal, piorou muito. “No campo pediátrico, o descaso do poder público é grande. Houve o fechamento de diversos hospitais pediátricos públicos, acentuada redução no número de leitos hospitalares e em UTIs, substituição de plantões presenciais por plantões à distância e restrições para a realização de cirurgias eletivas”, comenta o Dr. Bassols.

Ele ainda lembra que a gravidez precoce e tardia e o uso de drogas levaram ao aumento do número e da gravidade das malformações congênitas, que demandam correções cirúrgicas.

Recente levantamento do Conselho Federal de Medicina (CFM) mostra que desde 2010 foram desativados mais de 33,5 mil leitos do SUS. Cirurgia Pediátrica foi uma das especialidades mais afetadas pelos cortes orçamentários.

Daí a importância de mutirões como esse. Assim, além de conclamar os hospitais, especialmente os públicos e filantrópicos, como Santas Casas de Misericórdia, a se integrarem a este XII Mutirão Nacional de Cirurgia da Criança, o presidente da CIPE pede “especial atenção dos responsáveis pelos órgãos de saúde da administração pública com a saúde de crianças e adolescentes, ampliando o número das equipes cirúrgicas e garantindo-lhes condições de trabalho adequadas e leitos e instalações apropriadas a esses pacientes, de forma a reduzir drasticamente as filas de espera”.

Serviços confirmados

Estado/Distrito Federal Serviço/Cidade
Bahia H. Municipal Edite Nogueira Rangel – Santa Terezinha
H. Municipal Eurico Dutra – Barreiras
Distrito Federal H. Universitário (HUB) – Brasília
Minas Gerais Santa Casa de Misericórdia – Belo Horizonte
H. de Clínicas da UFTM – Uberaba
Pará Santa Casa de Misericórdia – Belém
H. Regional Público do Araguaia – Redenção
Paraná H. Universitário Regional dos Campos Gerais – Ponta Grossa
Rio de Janeiro H. Alcides Carneiro – Petrópolis
H. Municipal da Mulher – Cabo Frio
H. Federal da Lagoa – Rio de Janeiro
Rio Grande do Sul H. da Criança – Santa Casa de Misericórdia – Porto Alegre
H. da Criança Conceição – Porto Alegre
Santa Catarina H. Infantil ‘Joana de Gusmão’ – Florianópolis
H. São José – Criciúma
São Paulo H. São Camilo – Santa Casa de Misericórdia – Itú
Santa Casa de Misericórdia – Araçatuba
H. Estadual ‘Mário Covas’ – Santo André
Instituto da Criança – H. das Clínicas (FMUSP) – São Paulo
Sergipe H. Universitário da UFS/EBSERH – Aracaju
Tocantins Hospital Infantil Público – Palmas

Acompanhe a evolução das adesões pelo site e pela página da CIPE no Facebook.

 

Abertura oficial

 A abertura oficial do Mutirão foi realizada no dia 3 de maio, quinta, às 8h, no centro cirúrgico do Hospital da Criança Conceição, com a presença do presidente da CIPE, Dr. João Vicente Bassols.

Nesse serviço o tempo médio para a realização das cirurgias pediátricas é de seis meses.

 

Notícias anteriores:
» 28/04/18 » Mutirão 2018 já envolve 20 serviços do país
» 15/04/18 » Agora, já são 18 os serviços confirmados no Mutirão 2018
» 06/04/18 » Cresce o número de adesões ao Mutirão Nacional 2018

» 22/03/18 » Mutirão Nacional 2018 recebe a 14ª adesão
» 10/03/18 » Serviços de Florianópolis e Porto Alegre aderem ao Mutirão 2018

» 02/03/18 » Serviços de Belo Horizonte, Palmas e Porto Alegre aderem ao Mutirão 2018
» 11/02/18 » Mutirão Nacional 2018 tem nova adesões
» 28/01/18 – Mutirão Nacional 2018 já tem primeiros serviços confirmados